Seja bem-vindo. Hoje é

28 de abril de 2015

Master Quiz PRO

Aplicativo que estimula o aprendizado das crianças, grátis na App Store em http://bit.ly/masterq . Para os Professores...

Posted by Master Quiz on Segunda, 27 de abril de 2015

16 de março de 2015

Manifestações civis.

Dado o cenário atual publicado no post Aonde chegamos, ficou muito complicado decidir o que fazer, como fazer e quando fazer. Na verdade, nos encontramos agora em um estágio sem saída, como um labirinto de difícil resolução. Como devemos proceder? A quem devemos chamar? Em quem podemos confiar? Essas são perguntas de difícil resposta. Dada a proporção que tudo tomou, fica muito difícil entender o processo político para resolução dos problemas. Simplismente "matar" todo mundo não resolve ( uma solução simplista e até infantil). Botar todo mundo em um camburão e levar pra cadeia resolveria mas não seria viável porque nossas cadeias já estão superlotadas e o sistema prisional não comportaria toda essa nova leva de bandidos. Tirar os caras do país seria para eles como uma vitória, ainda que tivessem que se submeter as leis estrangeiras (muito mais rigorosamente aplicadas que as nossas). Encontramos então nas manifestações que ocorreram dia 15/03/2015 uma saída para expor nossas opiniões publicamente. O que pensamos, sentimos e desejamos. Muita gente aderiu.

Vamos então tirar a vac* de lá. Impeachment já! Simples assim? não, não é tão simples. Vamos xingar muito , gritar e aparecer em massa nas ruas para acordar o gigante que havia dormido. Está melhorando....Na situação real que vivemos, qualquer ação tomada pode gerar consequências gravíssimas. A volta de uma ditadura militar no poder deve ser uma opção descartada. Ao mesmo tempo que alguns vão se beneficiar outros vão sofrer e muito. A remoção da pessoa Dilma Rousseff do seu cargo acarreta na entrada do candidato Michel Temer. Podemos confiar nele, ou vamos continuar nessa luta até que entre alguém capaz de realizar as mudanças que tanto desejamos?
Terceiro turno, é válido? Quais seriam os candidatos então? Na pratica, o que mudaria?

Tudo o que queremos é a aplicação de um governo mais justo, de forma que os benefícios atendam as necessidades da população e sejam satisfatórios para um numero maior de pessoas. 

15 de março de 2015

Aonde chegamos.

Penso que o cenário atual não é nada bom para nosso país. O governo do PT ganhou as eleições em uma disputa acirrada, mas ganhou. Veio em uma descendente pois não souberam manter o nível político do que estavam fazendo, muito menos controlar outros partidos e pessoas que vieram a se manifestar.  O governo do FHC construiu uma base sólida sobre a qual o Brasil poderia deslanchar. O Presidente Lula manteve essa base , se aproveitou dela, construiu alguns adendos que podem ser considerados melhorias e ainda assim não soube, por falta de preparo intelectual se afastar dos 40 ladrões. Dilma pegou o governo em decadência. Tudo aquilo de bom que havia sido feito já estava no prazo de validade perto do vencimento. O partido que estava enraizado no poder construiu uma base sólida de roubalheira e manteve essa metodologia por mais 4 anos. Foram esquemas e mais esquemas que envolviam muita gente, inclusive a presidente Dilma e o ex-presidente Lula. Pessoas de outros partidos com certeza também estavam envolvidas. Todos envolvidos direta e indiretamente.A quantia era muita. E agora, como faz? O que fazer? 



Obs:  Não postei no blog por um tempo, por falta de tempo e também para esperar o que aconteceria dado os passos iniciais desse governo. Unir o útil ao agradável.

9 de outubro de 2014

Análise das eleições - inicio


Passou o primeiro turno das eleições e não consegui postar por falta de tempo, me desculpem. Devo ressaltar que no maranhão ninguém da família Sarney foi eleito, garotinho foi esquecido no Rio de Janeiro, e Agnelo Queiroz também não entrou em Brasilia. Já vemos um progresso enorme por aí fazendo jus ao texto na nossa bandeira. Outras eleições para governador , como em São Paulo, (Geraldo Alckmin foi reeleito , de novo) surpreenderam muita gente.  Agora vou tomar um tempo para falar sobre a eleição para presidência. O embate entre todos os candidatos , os nanicos, os fortes e as eleições propriamente ditas. 


Eram 11 os candidatos. Por um jogo de poderes só pudemos conhecer 7 deles. Zé Maria, Rui Costa Pimenta, Ey-Ey-Eymael - um democrata cristão, e Mauro Iasi não possuem força suficiente e conseguiram uma média de 53.157 votos cada. Isso representa uma não democracia o poder econômico dos partidos coloca o candidato em uma certa posição na disputa. Tem tudo a ver com o capitalismo. Luciana Genro, Pastor Everaldo, Levy Fidelix e Eduardo Jorge forneceram um tempero especial. Mostraram que se bem aparentados podem conseguir uma quantidade de votos surpreendente (Luciana conseguiu 2 milhões de votos). Mostraram opiniões fortes sobre os 3 candidatos principais bem como mudaram o voto de algumas pessoas. Levy expressou sua sincera opinião em um dos debates e foi massacrado , algo vai contra o espírito de democracia que deve marcar as eleições. Pra mim , a opinião dele foi como uma outra qualquer e justamente é um fator para a escolha do voto e não por isso o cara deve ser punido por expressá-la.
Marina Silva. Se mostrou muito inteligente e aproveitou da morte do candidato Eduardo Campos para criar uma comoção nacional. Conseguiu. Mas na reta final, 45 do segundo tempo, a Marina tentou encarnar um ser que ela não é, com o jeito de se expressar populista e mentiroso do PT. Pra mim foi esse o principal motivo para ela não ter entrado no segundo turno. 


Em um próximo post, vou escrever um pouco sobre a dupla Aécio x Dilma



19 de setembro de 2014

Eleições estão chegando.

A situação da politica no país está complicada. A corrida presidencial está pegando fogo. Será que Marina Silva está preparada para aguentar e lidar com a quantidade de urubus presente na política? Será que ela terá força depois pra segurar a barra? Tenho minhas dúvidas.


Seguir blog por e-mail: